Arte Urbana

21. ANTONY GORMLEY

RIZOMA

Escultura em ferro composta por nove figuras humanas, em tamanho natural, que, ao encaixarem umas nas outras, simbolizam a união entre os homens, sugerindo ainda os ramos de uma árvore. Esta obra é, de facto, o esboço de uma infinidade de possibilidades.

Antony Gormley nasceu em 30 de Agosto de 1950, em Londres. Fez uma graduação em Arqueologia, Antropologia e História de Arte no Trinity College em Cambridge, entre 1968 e 1971. Viajou então para a Índia e Sri Lanka, onde estudou budismo durante 3 anos.
Há muitos anos que trabalha a figura humana em esculturas baseadas em vetores, através de investigação do corpo e da memória. Usa o seu próprio corpo como material, tema e ferramenta, desenvolvendo uma preocupação recorrente com a condição humana.

Como ele próprio explica: "Usualmente a arte tradicional do corpo humano é sexualizada, politizada ou idealizada. A minha não. Eu uso o corpo como um espaço aberto de possibilidades. Eu interesso-me pelo corpo, porque o corpo é o local onde as emoções estão mais diretamente registadas”.
Trabalha metal em espiral e cubos a que, muitas vezes, dá a forma de um homem de pé, com as pernas e braços colados ao corpo. A sua escultura mais conhecida - e um marco na escultura contemporânea britânica - é, provavelmente, o "Angel of the North"(1998), que se situa em Gateshead, Inglaterra, representando um homem de braços abertos que se assemelham a asas.
Celebrado internacionalmente, Gormley tem exposições individuais e de grupo na Europa, Escandinávia, América, Japão e Austrália.




© 2024 Junta de Freguesia do Parque das Nações. Todos os direitos reservados | Termos e Condições | * Chamada para a rede/móvel fixa nacional

  • Desenvolvido por:
  • GESAutarquia