Arte Urbana

1. PEDRO CABRITA REIS

Esta construção tem por base a geometria abstracta de uma rotunda e de um viaduto que passa sobre ela - um círculo e uma secante imperfeita. Na rotunda, uma oliveira centenária sugere-nos a ideia de idade. Os painéis de azulejos a preto e branco simbolizam a claridade comandada pelo princípio de perfeição. As superfícies de betão à vista e a oliveira simbolizam a obscuridade e o princípio da imperfeição.

Pedro Cabrita Reis nasceu em 1959, em Lisboa. Estudou na Escola Superior de Belas Artes de Lisboa. A sua obra pictórica, produzida na década de 80, caracteriza-se pela grande dimensão dos suportes, onde o artista representa objetos do quotidiano, reordenados em ambientes enigmáticos.
Na segunda metade dos anos 80 diversifica as suas formas de expressão, passando da pintura para a escultura e instalação. Acrescenta jogos de luz à diversidade de formas apresentadas e trabalha materiais como o chumbo, o vidro, o espelho, os objetos reutilizados, o ferro e a madeira.
Paralelamente ao desenho, pintura, escultura e instalação, a sua atividade inclui trabalhos de cenografia para teatro e intervenções como a decoração do bar lisboeta "Frágil".




© 2024 Junta de Freguesia do Parque das Nações. Todos os direitos reservados | Termos e Condições | * Chamada para a rede/móvel fixa nacional

  • Desenvolvido por:
  • GESAutarquia